Representantes de Ibotirama reivindicam rede elétrica para ilhas e melhorias na saúde

Postado 7 de julho de 2015 às 17:33 hs

Josias Gomes

O secretário Josias Gomes, titular da secretaria de Relações Institucionais do Governo da Bahia, recebeu em audiência três secretários do município de Ibotirama, que representando o prefeito  Terence Lessa, reivindicaram obras em diversas areas.

Na Saúde, o secretário Fábio Kadis solicitou a licitação dos serviços de saúde do Hospital Regional de Ibotirama. Já o chefe da pasta da Agricultura e Meio Ambiente, José Rodrigues da Silva, pediu apoio para a instalação de rede elétrica na Ilha do Saco, Ilha Grande, e Ilha do Gado, localizadas no Rio São Francisco.

“Cerca de 1.200 pessoas moram nessas três ilhas, que já foram contempladas pelo Programa Água para Todos, do Programa de Aceleração do Crescimento (PAC), obra em fase de finalização pela Codevasf, e cuja inauguração está prevista para agosto”, explica Siva.

Segundo ele, a Associação de Moradores da Ilha do Saco também reivindica a doação pelo Estado de um trator. “Queremos ainda a perfuração pela Cerb de um poço artesiano na comunidade de Pau de Sombra, localizada na zona rural, distante 18 km da sede municipal, e que irá beneficiar 60 pessoas”, diz o secretário.

Ele diz que o município precisa de apoio para a reestruturação da Cadeia Produtora do Leite, reivindicando à CAR 4 tanques – com capacidade para armazenar 2 mil litros cada – de resfriamento do leite. Serão beneficiadas as comunidades de Caraíbas, Barro Alto, Mourão e Pedras, e Macambira.

O secretário do Planejamento, Silvano Almeida, pediu a informatização e regionalização dos serviços do Retran, e também solicitou que o município possa fazer o serviço de habilitação dos motoristas, já que – segundo ele, a Prefeitura realizou a obra de infraestrutura para atender quem precisar desse serviço.

Comentários
0

Aiba doa equipamentos para o Hospital do Oeste

Postado às 15:36 hs

Pelo segundo ano consecutivo, a Associação de Agricultores e Irrigantes da Bahia (AIBA) fará a entrega de equipamentos para o Hospital do Oeste (HO), graças ao projeto “Ingresso Solidário”, adotado na maior feira de tecnologia agrícola e negócios do Norte e Nordeste do Brasil, a Bahia Farm Show, realizada na cidade de Luís Eduardo Magalhães, em junho. A cada ingresso vendido por R$ 10, parte do valor era doado à unidade de saúde, que é administrada pelas Obras Sociais Irmã Dulce (OSID) e realiza hoje cerca de 60 mil procedimentos por mês.

A entrega dos equipamentos será realizada nesta quarta-feira (8), às 16h, na praça Irmã Dulce do HO. Serão doados aparelhos de ar condicionado, que serão utilizados na climatização da clínica médica do hospital, que conta com 61 leitos, além da doação de um eletrocardiógrafo, responsável pela realização de eletrocardiogramas, exame que registra oscilações do coração, equipamento que será utilizado na emergência da unidade.

“Com a doação do eletrocardiógrafo, iremos agilizar o atendimento aos pacientes que necessitam desse tipo de exame na emergência. Já em relação à climatização da clínica médica, será possível oferecer uma maior comodidade aos pacientes internados no setor, auxiliando assim na recuperação destes”, comentou Marcos Paulo Barbosa, líder administrativo do HO.

Comentários
0

A moral seletiva do brasileiro

Postado 6 de julho de 2015 às 16:18 hs

Cunha

Numa rápida pesquisa na grande rede, o ZDA encontrou parte do histórico de 'serviços' ao Brasil de Eduardo Cunha, presidente da Câmara Federal, segundo na linha sucessória da Presidência da República, depois do vice-presidente. Acompanhe:

Negócio com doleiro - O presidente do grupo Schahin, o empresário Milton Schahin fez acusações contra o presidente da Câmara, Eduardo Cunha (PMDB-RJ), em entrevista concedida ao jornal O Globo. Milton disse que Cunha tem "patrocinado um esquema de perseguição" às suas empresas, em crise financeira e mencionadas na Operação Lava Jato. O grupo Schahin de engenharia, infraestrutura e petróleo e gás, que existe há 50, possui uma dívida de R$ 6,5 bilhões.

Cunha lança mão de métodos de corrupção, relata Milton, para patrocinar a ofensiva contra seu conglomerado de empresas. Segundo o empresário, a ação é orquestrada pelo também empresário Lúcio Bolonha Funaro, com apoio de um grupo de parlamentares aliados ao peemedebista.

Em 2000, um ano antes de assumir o mandato como deputado, Cunha foi acusado de ligações com o doleiro Lúcio Funaro, investigado pela CPI dos Correios. Segundo reportagem da revista Época, Funaro pagava o aluguel do deputado em um luxuoso flat em Brasília.

Lava Jato - Num dos vários depoimentos à Justiça, o delator da Operação Lava Jato, o doleiro Alberto Yousseff garantiu que o presidente da Câmara Federal, Eduardo Cunha seria o "destinatário final" da propina paga pelo aluguel de navios-sonda para a Petrobras. Yousseff disse que repassou R$ 6 milhões a Fernando Soares, o "Baiano", operador do PMDB e representante de Cunha no esquema de corrupção que corrói as contas e a imagem da Petrobras.

PC Farias - No Supremo Tribunal Federal (STF), existem vinte e dois processos contra Eduardo Cunha. O primeiro inquérito contra ele ocorreu no bojo das ações contra Paulo César Farias, tesoureiro de campanha de Fernando Collor e personagem chave no impeachment do ex-presidente. Cunha era o braço de PC Farias na Telecomunicações do Estado do Rio de Janeiro (Telerj).

Emboscada à bala - Dentre os processos no STF, Eduardo Cunha é acusado de participação no escândalo das notas fiscais falsas para sonegação de ICMS por parte da Refinaria de Manguinhos, quando ele era presidente da Companhia de Habitação do Estado do Rio de Janeiro. Outro investigado no processo é o ex-deputado Federal Francisco Silva, amigo e sócio de Cunha. Em outubro de 2000, Eduardo e Francisco foram vítimas de uma emboscada à bala, quando, de madrugada, deixavam a residência oficial do governador.

Demissão e condenação - O inquérito no STF, que corre em segredo de Justiça,  que apura uso de documentos falsificados em processos do Tribunal de Contas do Estado do Rio de Janeiro, para conseguir o arquivamento de inquérito aberto contra o presidente da Câmara, resultou na demissão do subprocurador-geral Elio Gitelman Fischberg, que participou da falsificação, e condenação a 3 anos e 11 meses de prisão.

Tráfico de drogas - Em 2000, época em que ocupava o cargo de vice-presidente da CPI do Apagão Aéreo, Cunha foi acusado pela deputada estadual Cidinha Campos (PDT-RJ) de realizar operações com o traficante colombiano Juan Carlos Ramírez Abadía. Em discurso na Assembleia do Rio, a parlamentar acusou o deputado federal de vender uma casa em Angra dos Reis por US$ 800 mil e, pouco tempo depois, comprar de volta por US$ 700 mil.

R$ 100 milhões - Eduardo Cunha foi alvo de investigações da Controladoria-Geral da União (CGU), que apontou que Furnas, estatal do setor elétrico, cobriu prejuízos em 2011 causados pela participação da Companhia Energética Serra da Carioca II (empresa ligada a Cunha) na sociedade montada para construir a Usina Hidrelétrica da Serra do Facão, em Goiás. Na época, Furnas tinha vários quadros da direção da empresa em mãos de pessoas ligadas ao próprio Eduardo Cunha. Os prejuízos da estatal ultrapassaram os R$ 100 milhões.

Eduardo Cunha foi elevado a condição de herói por parte dos imbecis das redes sociais e justiceiro para grande imprensa nacional. Não direi que os "revoltados online" fazem parte do conjunto reacionário que tenta a todo custo tomar o país de assalto, pois a maioria destes não reúne condições intelectuais para tal exercício, mas sim demonstra que a massa de semianalfabetos ainda existe e continua vulnerável à incursão das mídias tradicionais. O que impressiona é a seletividade moral destes cidadãos, que por um lado identificam e condenam corruptos, por outro delegam a função de paladino ao chefe de ladinagem nacional. Os honestos e indignados brasileiros buscam a cura da doença com um dos principais agentes da enfermidade. (Fernando Machado)

Comentários
0

Prefeitura de Luís Eduardo Magalhães e Fundação Itaú realizam oficina para avaliação de projetos sociais

Postado às 15:17 hs

A secretaria de Trabalho e Assistência Social de Luís Eduardo Magalhães em parceria com o Conselho Municipal dos Direitos da Criança e do Adolescente (CMDCA) e a Fundação Itaú Social realizam no próximo dia 16 de junho, no auditório do Hotel Saint Louis, uma oficina gratuita para discussão dos principais conceitos de "Avaliação Econômica de Projetos Sociais e Políticas Públicas".

Entre os temas que serão debatidos na oficina, a importância da avaliação de impacto e do cálculo do retorno social para projetos sociais e políticas públicas; a forma que essa metodologia contribui para o aprimoramento das ações sociais; quais as contribuições do uso de uma ferramenta de avaliação quantitativa e objetiva para medir resultados em intervenções sociais e como essa avaliação pode contribuir para que os recursos sejam bem aplicados de forma a causar transformações na sociedade.

A oficina tem como público alvo gestores e técnicos de organizações não governamentais (ONGs) e do poder público que atuam com gestão de programas, projetos e políticas sociais e pesquisadores e técnicos de institutos que atuem com análise de dados da área social. As inscrições são limitadas e devem ser realizadas até o dia 13 no portal do Fundação Itaú Social.

Comentários
0

Governador e prefeito entregam 500 casas populares em Bom Jesus da Lapa

Postado às 05:28 hs

lapa2

O município de Bom Jesus da Lapa, no Oeste da Bahia, avança para a redução do déficit habitacional. O residencial Vale Verde, construído por meio do programa Minha Casa, Minha Vida, foi inaugurado na sexta-feira (o3/jul). As 500 moradias beneficiam duas mil pessoas. Recebido pelo prefeito do município, Eures Ribeiro, o governador do Estado Rui Costa entregou as chaves dos imóveis. Todo o residencial está equipado com itens de acessibilidade e possui ainda parque infantil, salão de festa e quadra de esportes. As redes de água, esgoto e energia elétrica completam a infraestrutura do local. Os moradores vão pagar prestações mensais, que variam entre R$ 25 e R$ 80, durante dez anos.

Comentários
0

Juíza do Oeste da Bahia é indicada para o CNJ

Postado às 05:04 hs

juíza  

A juíza Daldice Maria de Almeida, do município de Riacho de Santana, na região Oeste da Bahia, pode integrar a Conselho Nacional de Justiça (CNJ). O nome dela foi aprovado, na última quarta-feira (01/jul), pela Comissão de Constituição e Justiça do Senado. Agora, a indicação será votada pelo plenário daquela Casa, em regime de urgência, e caso não tenha rejeição, a magistrada torna-se conselheira. (Informações do portal Oeste Acontece)

Comentários
0

Gigante chinesa, presente em Luís Eduardo Magalhães, propõe reduzir custos públicos com tecnologia

Postado às 04:31 hs

Captura de Tela (108)

 

A empresa de soluções em Tecnologia da Informação e Comunicação (TIC) Huawei promoveu na quinta-feira, 02, em São Paulo, seu encontro para discussão de Cidades Inteligentes, o Digital City Summit 2015. O fórum ocorre em um momento que a chinesa busca expandir sua presença no país com suas soluções para cidades digitais, na busca por conscientizar membros do poder público de que o uso da tecnologia pode promover avanços socioeconômicos, além de reduzir gastos com a manutenção de serviços públicos nas cidades.

Atualmente, a Huawei possui uma série de produtos e soluções de fim-a-fim com foco em cidades inteligentes, implementadas em cerca de 60 cidades em mais de 20 países. No Brasil, a empresa já atua com mais de 200 parceiros para o fornecimento de tecnologias e infraestrutura de TICs para habilitar a construção de projetos nas áreas de comunicação, segurança pública e até financeira.

O projeto mais recente da empresa no país foi anunciado no final de maio deste ano, no município de Luís Eduardo Magalhães, cidade com 80 mil habitantes localizada no oeste da Bahia. No local, a Huawei fechou uma parceria com o Ministério da Ciência, Tecnologia e Inovação (MCTI) para integração do 4G (LTE) na rede pública do município.

Ao todo, o projeto teve investimento de R$ 1,6 milhão do MCTI para a instalação de 59 km de fibra ótica, além de oito torres de comunicação e 30 pontos públicos de Wi-Fi. A ideia é que o sistema também permita a criação de uma intranet que integre serviços públicos da cidade – em breve, cidadãos do local poderão informar pela internet quando um poste de iluminação pública estiver com defeito, por exemplo.

Uma das tecnologias mais recentes da companhia chinesa para o setor é o seu padrão de comunicação baseado em redes seguras LTE, apelidado de eLTE. O padrão permite a forças de segurança pública o uso de comunicadores de rádio através da rede 4G (LTE), capazes de compartilhar conteúdo não só de áudio, mas também de vídeo em tempo real para suas centrais de controle.

O padrão também utiliza um canal de comunicação independente das bandas tradicionais de LTE, o que garante que as transmissões funcionem mesmo em ambientes de grande concentração de público.

A empresa aposta agora em uma "mudança de geração" das tecnologias de segurança para ganhar espaço no mercado nacional com seus sistemas eLTE. "Algo parecido aconteceu há 15 anos, com a mudança do analógico. Hoje nós estamos migrando o digital para o multimídia", explicou Anderson Tomaiz, gerente de soluções sênior da Huawei do Brasil, ao Canaltech.

Atualmente, a Huawei tem cerca de 15 provas de conceito no Brasil com sua tecnologia eLTE. Dois dos projetos foram realizados na cidade do Rio de Janeiro. No primeiro, o Corpo de Bombeiros do estado utilizou o sistema para monitorar a praia de Ipanema durante o Réveillon passado. Também no carnaval deste ano, a Polícia Militar carioca foi equipada com os rádios baseados em eLTE para a segurança do sambódromo da cidade. Além disso, houve também um projeto piloto com a Polícia Militar do Distrito Federal para entrega da tecnologia.

Para alavancar os negócios no setor de segurança, a empresa também anunciou nesta quinta o fechamento de uma parceria com a empresa sueca de soluções geoespaciais e de engenharia Hexagon. As duas empresas deverão trabalhar na integração de suas infraestruturas para serviços de segurança pública, que hoje incluem monitoramento de vias públicas, câmeras e soluções de mobilidade para forças de segurança como polícia e bombeiros.

Hoje, a Hexagon é responsável pelo sistema de software de gestão de trânsito e do transporte público na cidade de São Paulo. A expectativa é que, com a parceria, a Huawei forneça sua infraestrutura e equipamentos para expansão dos serviços da companhia para outras iniciativas no país.

A Huawei não divulga números sobre o tamanho de seu negócio ligado às cidades inteligentes no Brasil, mas aposta que a necessidade de redução de custos do setor público através da adoção de novas tecnologias pode expandir o mercado aqui. "A tecnologia existente não tem mais evolução, o próximo paso é ir para o LTE. A velocidade de adoção só depende do orçamento dos municípios e estados", afirmou Tomaiz.

De acordo com o executivo, a expectativa da empresa é que este ano sirva como vitrine para as soluções da empresa, com a demonstração de cases de aplicação de suas tecnologias que estimulam novos projetos.

A gigante Huawei, sediada na cidade de Shenzhen, localizada na província de Guangdong, na China, é a maior empresa fornecedora de equipamentos para redes e telecomunicações do mundo.

Comentários
0
Página 1 de 20912345...102030...Última »

Publicidade


Clima Tempo

Previsão | Barreiras-BA
Max
Min

Últimos Comentários

  • Justiçeiro de abraão: DEIXEM O HOMEM TRABALHAR,PARA DE FICAR COM INFORMAÇÕES INVERÍDICAS CALUNIOSA,TOMA AGUARDENTE ALEMÃ QUE A DOR DE CULTUVELO PASSA.
  • Bobô da Bahia: Em tempos de Eduardo Cunha e do Legislativo Nacional mais narcisista (prá usar um eufemismo bem suave) de todos os tempos, vale dizer...
  • Ortegina Guimarães dos Santos: Fernando ZDA,vc juntamente com os esses veradores da oposição precisam URGENTEMENTE ir na Secretária de Ação Social e ver...
  • Hermantno Queiroz dos Santos: Querido blogueiro Fernando ZDA,aproveito essa matéria da minha cidade que moro Riachão das Neves e sendo um um fá de sua...
  • Nuvem de Tags

    Redes Sociais